Translate

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Sem pressa


Não tenho pressa
viajo pela trilha
nesse amontoado de curvas
aventurando-me nos riscos
que me afogam tantas vezes
mas, na direção dos meus passos
a cada um dos dias sentindo
como broto reverde
pelas renovadas manhãs.


Não tenho pressa
viajo pelos sonhos
esse divisor infindo
transpondo a porta da visão
e de plumas me vestindo
no seduzir das pálpebras
pelos reclames envolta
na evocação como alimento
que a alma consagra.


Não tenho pressa
viajo pelo tempo
esse estranho a despir-me
pelos dias que seguem
e que nunca será como ontem,
o que se foi glorifico
na solicitude da vida
aqui permanecendo
até o amanhã do sol.

Stela Emilia Gusmão
04/05/2010