Translate

domingo, 6 de março de 2016

A minha homenagem a todas as mulheres, para que através da pluralidade das nossas reivindicações possamos ampliar os nossos direitos ocupando os espaços com o respeito devido a nossa cidadania. Não aceitemos violências seja moral, física, sexual ou psicológica.

     A luta das mulheres é diária, seja no trabalho, estudo e no lar. As estatísticas  mostram que quase a metade dos lares brasileiros são mantidos por mulheres e tendo que conviver com uma remuneração menor que a dos homens em cargos equivalentes.
      Também é estatístico que a violência contra a mulher, como o abuso sexual, psicológico e crimes passionais aumentam, a saber, que 10 mulheres morrem por dia vítimas desses homicídios. A lei Maria da Penha por sí não é suficiente enquanto não houver políticas públicas efetivas aliada a um processo educativo que promovam mudanças nos padrões sociais.
       Temos que romper com as heranças de costumes que não mais coadunam com o presente. Criar filhos é torná-los cidadãos respeitados e respeitadores do semelhante com todas as diferenças de gênero e vale a reconstrução desse modelo patriarcal, reforçando o enraizamento de um novo pensamento e uma nova forma de agir principalmente da própria mulher.
Stela Emilia Gusmão