Translate

sábado, 19 de abril de 2014

A perder de vista


Fotografo as manhãs e auroras
que o tempo de outrora
fez sonhar possíveis quimeras
nos idos de muitas esperas.

Uso as lentes de aumento
para que a miopia insistente
resgate o olhar inerente
no foco de uma visão clara
mantendo congelada na retina
as memórias de cada esquina
tantas, em guardados segredos
que me perco no desassossego.

Retenho a expressão de cada rosto
nos traços que em refúgio registra
cristalina, em graus a perder de vista.

Stela Emilia Gusmão
20/07/08